O Caderno dos Sonhos;

Caderno dos Sonhos

Caderno dos sonhos

                  Desde 2009, criei o hábito de fazer um caderno com minhas metas e conquistas para o ano seguinte. Cada ano escolho um tema, uma frase, algo que me inspire, algo em que acredito para lembrá-la por todo ano. Então, esse ano, eu decidi que a minha “palavra” do ano seria Kairós: palavra grega antiga que significa o momento perfeito, oportuno ou crucial. É o acerto fugaz entre tempo e espaço que cria uma atmosfera propícia para ação.

                  Todo ano resolvo mandar fazer um caderno, todo desenhado e com design específico para isso, então esse ano decidi, também, inovar: fiz meu próprio caderno com folhas coloridas. A minha idéia era aprender a fazer a costura copta antes de fazer o caderno, mas não deu tempo. Então o resultado você pode ver ai em cima. Enjoy it! 🙂

I’m back!

I’m back bitches!

Bom, faz pelo menos mil anos que não posto sobre minhas coisas, e acho que agora é uma boa hora pra voltar a fazer o que mais gosto: escrever. As mudanças são sempre boas, ainda mais quando te levam a aprender algo diferente e a mudar. Wait for what is coming.

Adeus 2012.

Goodbye

Goodbye 2012

2012 que era pra ser um Dois mil e doce, foi mais pra Dois mil e morra, e agora estou mais do que feliz em dar adeus a esse ano odioso. 2012 foi um ano de conquista, mas nada que eu não tivesse sofrido bastante pra conseguir depois. Como eu quero esquecer das partes ruins, falarei apenas daquilo que foi bom!

Continue lendo

End.

Hope

Hope

“Algumas coisas são tão difíceis de compreender. Tão difíceis de deixar ir. Tão difíceis de esquecer. Então escreverei uma vez por 0 dias, em luto por nós, pelo meu coração, por você, afinal, pro meu coração, você está morto, querido.”

Autor Desconhecido.

Continue lendo

Lost

Lost.

Lost.

“Algumas coisas são tão difíceis de compreender. Tão difíceis de deixar ir. Tão difíceis de esquecer. Então escreverei uma vez por 6 dias, em luto por nós, pelo meu coração, por você, afinal, pro meu coração, você está morto, querido.”

Autor Desconhecido.

Continue lendo